Atualidades

Suíça: novamente a número 1 como centro de gestão patrimonial no mundo

Segundo um relatório global publicado recentemente pela Deloitte, a Suíça continua a ser o principal centro de gestão patrimonial internacional do mundo. O país se beneficia das competências digitais de seus profissionais, da estabilidade política e de uma abordagem orientada ao cliente.

Vista da Paradeplatz, em Zurique
Credit Suisse Group AG e UBS Group AG, os dois maiores bancos no país, divulgaram influxos positivos em 2017.

A Suíça defende sua posição no topo como principal centro para a gestão patrimonial, segundo o mais recente Ranking de Centros de Gestão Patrimonial da Deloitte. O ranking analisou centros globais de gestão patrimonial por competitividade, tamanho e desempenho.

No final de 2017, um total de 1,84 trilhão de dólares em ativos internacionais foram administrados na Suíça, o que a torna o maior centro, à frente do Reino Unido e dos Estados Unidos.

“Os bancos suíços fizeram seu dever de casa muito bem nos últimos anos, capacitando-os a diminuir custos e aumentar margens de lucro”, afirmou Daniel Kobler, chefe de private banking e wealth management para a Deloitte na Suíça, em um relatório.

O centro mais competitivo e produtivo

A Suíça também é a número 1 em competitividade e desempenho. Segundo o relatório, a qualidade do serviço suíço é enxergada como a melhor em comparação com outros centros. O centro de gestão patrimonial suíço também se tornou o mais produtivo pela primeira vez em 2017.

Tradicionalmente, os pilares de sustentação do centro de gestão patrimonial são a confiança e a discrição, uma experiência superior do cliente, um ambiente estável e profundos conhecimentos especializados. Nenhum outro centro tem tantos profissionais especializados em private banking.

Estabilidade política

O país está no topo dos rankings em termos de estabilidade política, algo cada vez mais importante em um mundo repleto de incertezas políticas. O mesmo é válido para Singapura, porém, a Suíça está à frente por sua capacidade como provedor de serviços, especialmente na qualidade dos serviços e na maturidade digital.

O país continua a ter um limiar competitivo graças às competências digitais de seus profissionais, ao seu vasto know-how em atendimento à clientela internacional e sua abordagem orientada ao cliente, afirmou o relatório.

“A Suíça ainda é a referência em experiência de primeira classe do cliente”,

afirmou Daniel Kobler, que tem total confiança no futuro do centro de gestão patrimonial suíço.

Informativo: Suíça como centro financeiro

Compartilhar
How should we contact you?