Tenho interesse em
Atualidades

A Xapo recebeu luz verde do Finma

A empresa de Bitcoin norte-americana Xapo recebeu a sua autorização de funcionamento do órgão de fiscalização financeira suíço (Finma). E agora a empresa pode começar a trabalhar de verdade em sua sede em Zug. O CEO Wences Casares elogiou a cooperação com o órgão regulador.
 A Xapo recebeu a autorização de funcionamento do Finma.
A Xapo recebeu a autorização de funcionamento do Finma. (Figura: Antana, flickr/Creative Commons)

Há mais ou menos um ano e meio a Xapo decidiu transferir sua sede de Palo Alto na Califórnia para Zug. Agora, a empresa especializada em depósito de criptomoeda Bitcoin publica que recebeu a autorização de funcionamento do órgão de fiscalização financeira suíço (Finma). Como prestadora de serviços financeiros, uma organização para regulamento interno (SRO) deve ser o próximo passo. SRO é supervisionada pelo Finma e é responsável pelo cumprimento da legislação contra lavagem de dinheiro pelos membros.

Em um post no blog o fundador da empresa e CEO Wences Casares agradeceu a cooperação com o Finma. Foi um trabalho transparente e profissional. Ao encontrar dificuldades, o Finma sempre propôs uma solução. E houve diversas dificuldades. "A Bitcoin é algo novo e difícil de ser explicado", revela Casares em uma entrevista com o portal de finanças e economia. "O Finma precisou primeiramente compreender a Bitcoin e descobrir como interpretar a criptomoeda à luz do direito suíço“.

Muitas agências reguladoras teriam rejeitado completamente a Xapo e a Bitcoin em situações similares, conclui Casares em um post no blog. O Finma escolheu o caminho certo com a permissão para inserir a Suíça como um centro de inovações na área de fintech. O centro da revolução fintech não é mais, segundo Casares, o Vale do Silício e, sim, Londres. "Muitos de nós da indústria fintech pensamos, porém, que a Suíça tem uma melhor posição para promover fintech“, conta ele. "O fato de o Finma nos dar permissão é um bom sinal. Agora só é necessário um enquadramento legislativo para tornar o país realmente competitivo em relação a Londres“.

Leia mais
Compartilhar

Conteúdo relacionado